segunda-feira, 27 de junho de 2016

O que nos acontecerá depois da morte?




Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

O QUE NOS ACONTECERÁ DEPOIS DA MORTE?


Essa é uma pergunta que  a maioria dos viventes de todos os tempos passados e presentes faz. Existe, sim, uma resposta lógica tendo em vista a Verdade de Deus Escrita. 

O próprio Jesus nos revelou O QUE NOS ACONTECERÁ DEPOIS DA MORTE:

Antes de ser entregue à impiedade dos homens, Jesus reuniu-se com seus amigos apóstolos e lhe revelou O QUE NOS ACONTECERÁ DEPOIS DA MORTE:


Ao revelar a GRANDE PROMESSA antes, Jesus se identifica como o Filho de Deus e lhes prometeu, e por tabela a nós outros:


“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.  Jesus, no Evangelho de João, 14. 1.a 3.

Então Jesus revela que -- servindo também a nós outros -- ao subir ao Reino de Deus, prepararia um lugar a cada um deles e QUANDO VOLTAR, todos serão acordados para a GLÓRIA NA ETERNIDADE.

Você vai habilitar-se a essa grandiosidade?

O Evangelho do santo em vida, o apóstolo Paulo, nos revela igual: AO FALECERMOS ESTAREMOS DORMINDO, aguardando o Grande Dia de Jesus:



“Não queremos, pois, irmãos, que ignorais a respeito dos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim, também, Deus trará em sua companhia os que dormem.Ora, ainda declaramos, por Palavras do Senhor, que nós, os vivos, ficaremos até a Vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.  Porquanto o Senhor, dada a Sua Palavra de ordem, ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles (os que dormiam) entre as nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”. I Tessalonicenses, capítulo, 4.13 e seguintes.

Desde Adão e Eva o Reino de Deus permaneceu fechado à Humanidade. A essa situação, a Palavra de Deus chama de fase das TREVAS.

“A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam”.  João 1.5.


Tudo o que necessitamos sobre quaisquer questões espirituais  encontramos registradas nas Escrituras, mas nem todos têm a propriedade de, ao ler, estudar, meditar e principalmente raciocinar na busca correta da interpretação.  

Raciocinar é diferente de meditar, pois meditar sobre um verso bíblico, normalmente se faz apenas sobre ele e sobre os versos adjacentes,  mas raciocinar vai além: engloba todas as possibilidades que possam existir sobre o assunto escolhido, pois somando à meditação, é necessário envolver uma série de revelações congêneres e comparar, pesar na balança, abranger o conteúdo por inteiro e ainda ir além disso, que só a verdadeira sabedoria pode conceder.  A sabedoria verdadeira é um prêmio gratuito, mas que só é concedido àqueles que pedem, insistentemente, e com muita fé, ao Senhor para que nos cumule com muita sabedoria.

Por exemplo: O clero católico ignora a Verdade Bíblica que coloquei acima a respeito do que acontece após nossa morte, pois sua doutrina insólita ensina que quando um ser falece, imediatamente haverá um julgamento particular, no qual se estabelecerá se vai direto para o Inferno, ou para o Céu, ou mesmo para o tal Purgatório que não existe no Evangelho. 

Quanto à necessidade da sabedoria espiritual para bem entender as Escrituras, uu mesmo, peço ardentemente, todos os dias, ao Senhor e com muita fé, para que me cumule, não só de boa dose de sabedoria espiritual, mas de toda a Sabedoria Espiritual que ele possa conceder a um mortal. E bem sei que a tenho recebida!

“Se alguém desejar sabedoria, peça ao Senhor que a concede liberalmente a todos os que pedirem. Mas peça-a com  fé,  sem nenhuma  vacilação, porque o homem que vacila  assemelha-se  à onda do mar levantada pelo vento e agitada de um lado a outro.  Não pense, portanto, que tal homem (ou mulher) alcançará coisa alguma do Senhor, pois é um homem inconstante em todo o seu proceder”. Promessa do Senhor,  em Tiago,  1.5 e 6.

Segundo Jesus, o Reino de Deus e o Inferno só serão abertos no Grande Dia em que ele voltar: O Dia do Juízo, o da Consumação dos séculos ou Aquele Dia, segundo Mateus. 25:31 - 44.  As revelações bíblicas abaixo colocadas, até o final, não admitem o tal julgamento particular na hora da morte (que não é citado uma só vez em toda a Bíblia), e acabam de vez com o fantasioso Purgatório.  Detalhes nos blogs:

“Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo”.  Mateus 12.36

“Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos, e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes”. Mateus 13.49-50

“Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade”.  Mateus 10.15

É impressionante a confusão que os clérigos católicos, também uma parte dos pastores evangélicos fazem com o que acontece ao ser humano depois da morte.

Quanto a isso, as Escrituras, a Palavra de Deus, o Recado de Deus Escrito ensinam de uma só maneira da qual não há como inventar duplas interpretações, pois tudo está muito bem claro, cristalino e muito bem definido.

Primeiramente vamos ver a situação da Terra ANTES de Jesus e DEPOIS dele:

Desde Adão e Eva o Reino de Deus permaneceu fechado à Humanidade. A essa situação, a Palavra de Deus chama de fase das TREVAS.

A Palavra de Deus já profetizava por Isaías que o Messias de Deus viria para eliminar as trevas que pairavam sobre a Terra, desde a Grande Desobediência à Única Lei do Todo Poderoso promulgadas a Adão e Eva, idealizada por ele para testar o respeito e a gratidão da cria com relação ao Criador:

"Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti". Isaías, 60.1.

O Evangelho nos revela que, mesmo Jesus trazendo a luz ao mundo, eliminando as trevas, habilitando a Humanidade ao Reino de Deus, ainda assim muitos continuaram vivendo nas trevas, pois não o aceitaram como o Messias de Deus, como o Verbo de Deus Vivo, condição sinequanon para alcançar a vida eterna e outros, católicos, ortodoxos e também evangélicos ainda continuam nas trevas por agredir o Senhor, tentando literalmente lixar das Rochas Sagradas das Leis um ou dois dos Mandamentos.  Aceitam que Deus nunca muda em sua Promulgações, mas fogem dos Mandamentos “achando” que “Deus não se importa”.

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

“Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  1 Pedro 1:24.

Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Isaías 30:8.

Ou será que o Espírito Santo que inspirou os 40 profetas a escrever a Bíblia se enganou a respeito de Deus que não pode mudar em suas promulgações à Humanidade. Adão e Eva, na época representavam a Humanidade, por acaso Deus mudou em suas promulgações a respeito dos castigos que respingaram sobre nós outros? Nem a Vinda do Jesus do amor, que se emocionava e chorava vendo a miséria dos miseráveis não conseguiu nem amainar as dores do parto, por que sabia que Deus Pai nunca muda em suas promulgações à Humanidade, e se fundiu nas Rochas Sagradas das Leis do Monte Sinai também o Segundo Mandamento e o Quarto, ambos são de validade perpétuas, até a Consumação dos séculos:

Segundo Mandamento:  Não farás para ti  imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos. Deuteronômio, 5.4 a 9
 
Quarto Mandamento: “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11.

A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam”.  João 1.5.

“E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más”.   João 3.19.

Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”. Jesus, em João, 8.12.

Agora tomaremos conhecimento dos preceitos bíblicos que apontam claramente que os falecidos da Humanidade, desde Adão e Eva estão dormindo e só serão acordados desse sono, ou morte, no Grande Dia em que Jesus voltar. Portanto, não há um só espírito de humanos no Reino de Deus ou no Inferno:

Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”.     II Timóteo, 4.8.

“E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória”. Primeira Carta de Pedro 5.4.

O Evangelho revela o Reino de Deus aberto ao espírito dos seres humanos como um Grande Evento FUTURO, e não passado ou presente:

Então, os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça. Jesus, em Mateus, 13.46

Quando se dará esse futuro? Jesus deixa muito bem claro que o Reino de Deus só será aberto  aos espíritos humanos no Grande Dia da Futura Volta dele:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.   Jesus, no Evangelho de João, 14. 1 a 3.




Essa claríssima revelação de Jesus anula todas as crenças no tal julgamento particular para cada ser, e anula, ainda, a fantasiosa existência do tal Purgatório do catecismo católico. Pois não havendo tal julgamento imediato, os que falecem estão dormindo.

Quem entende as Escrituras, sabe que Jesus se cercou de doze apóstolos, que por três anos inteiros vivessem com ele, aprendessem com ele e, principalmente, se inteirassem dos exemplos dele para depois viverem seus ensinamentos e seus exemplos como futuro modelo a todos os viventes e assim sucessivamente até os dias de hoje.

Portanto, tudo o que Jesus ensinou e deixou como modelo de vida aos seus apóstolos, está absolutamente claro que os visados não eram apenas os doze, mas a HUMANIDADE, mesmo porque Está Escrito que Deus não faz distinção de pessoas.

Através do Grande Sacrifício do Cordeiro de Deus, Jesus não libertou apenas os apóstolos com seu sangue, mas a HUMANIDADE, assim como as Dez Leis de Deus não foram gravadas em rocha para os israelitas, mas para a HUMANIDADE.




Portanto, nos três anos, por tabela, Jesus nos ensinou o caminho da salvação na eternidade depois de ter nos habilitado ao Reino de Deus e habilitado os ímpios ao futuro inferno, ou Lago de Fogo, no momento em que bradou ao dar o último suspiro depois de lhe terem dado vinagre a beber:

                                     “Está consumado”. João, 14.30. (Tudo Está Consumado!)

Bem, sabendo que, segundo nossa vontade, todos nós, homens e mulheres, podemos ser os herdeiros dos apóstolos de Jesus, de suas promessas a eles, do poder legado a eles, do Reino de Deus e da Vida Eterna prometida a eles, nada a fazer melhor que CRER em tudo o que Deus os fez ESCREVER. Só os Escritos interessam e só os Escritos alimentam o Espírito assim também como desmentem as doutrinas humanas mescladas com preceitos bíblicos. Infelizmente, o mundo está lotado de doutrinas humanas, começando pela maior das igrejas até as menores.

...voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.

Jesus voltará à Terra novamente, mas desta vez como Juiz Universal. Uma das provas mais contundentes, além da revelação de Jesus em João 14.2 colocada acima, é sua Grande Declaração em Mateus, 25.31 e seguintes. Jesus fala do FUTURO. Jesus revela que o Reino de Deus e o Inferno ou Lago de Fogo acontecerão no FUTURO.

Em sua pregação, abaixo, Jesus nos revela a Salvação pelas boas obras de caridade e a Condenação pela falta delas:

“Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória;  e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita:

Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.  Jesus, em Mateus, 25.3 1, revelando que somente no seu Grande Dia os bons serão premiados com um lugar no Reino de Deus e os ímpios incorrigíveis serão condenados, segundo os desígnios de Deus Pai.

“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25.

Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às Dez Leis:

“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo,  justo e bom”. Romanos, 7:12.
Todas as nações engloba a Humanidade inteira por todos os séculos dos séculos, desde Adão e Eva até o Grande Dia da Volta de Jesus, de modo visível ao mundo inteiro, não importando que a Terra seja uma esfera..




O Evangelho novamente nos revela que os que morrem estarão descansando, dormindo até o Grande Dia da Volta de Jesus:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.   Jesus, no Evangelho de João, 14. 1 a 3.  Então, segundo Jesus, seus apóstolos (e nós outros) estão dormindo, aguardando a Volta de Jesus.

“Então ouvi uma voz do céu, que dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham”.  Apocalipse, 14.13.

O anjo do Senhor disse o mesmo ao amado profeta Daniel, sempre se referindo ao FUTURO:

“Tu, porém, segue o teu caminho até ao fim; pois descansarás e, ao fim dos dias, te levantarás para receber a tua herança”. Daniel 12.13. 

O anjo avisa a Daniel que ele vai dormir, e ao FIM DOS DIAS, que por certo será no Grande Dia da Volta de Jesus será acordado para receber as glórias eternas de Deus!
“E, chegando-se a ele os seus discípulos, disseram: Explica-nos a parábola do joio do campo.

E ele respondeu: O que semeia a boa semente é o Filho do Homem; o campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o joio são os filhos do maligno;  o inimigo que o semeou é o diabo; a ceifa é a consumação dos séculos, e os ceifeiros são os anjos”.  Pois, assim como o joio é colhido e lançado ao fogo, assim será na consumação do século.

 Mandará o Filho do Homem os seus anjos, que ajuntarão do seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniquidade e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes. 

Então, os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.  Jesus, em Mateus, capítulo 13, a partir do verso 36.

Nas revelações acima, Jesus fala de um Julgamento Geral no Futuro e não de julgamento particular para cada um no momento de sua morte com ensina o tal catecismo da doutrina católica e alguns pastores evangélicos mal preparados que jamais poderiam estar a ensinar religião.

A Ceifa, a colheita dos justos de Deus pelos anjos se dará na consumação dos séculos, como também o Inferno ou Lago de Fogo para os ímpios incorrigíveis. No Grande Dia de Jesus, ele voltará à Terra, gloriosamente, trazendo consigo todos que viveram a santidade em vida, os que dormiam, os mesmos que ora dormem.

Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós”.  Jesus, em João, 14.20.

Naquele dia: Novamente Jesus se refere ao FUTURO: No Grande Dia da sua Volta!

“Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo”.  I João, 4.17.

Já vi padres e pastores alegarem que Deus não é o Deus dos mortos, mas dos vivos. Bem, estão redondamente enganados, pois no Monte Sinai Deus disse a Moisés:

EU SOU O QUE SOU. EU SOU O DEUS DE ABRAÃO, DE ISAQUE E DE JACÓ 

Todos já falecidos na época), como também o Evangelho nos revela que Deus é Deus de tudo, até dos mortos:

“Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor. Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos”. Romanos, 14.8.

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós. E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração”. Êxodo 3.14

O apóstolo Paulo, também se referindo a um futuro, confessa que também ele estará dormindo até o no Grande Dia da Volta de Jesus.

 “...Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos”. Paulo, um santo em vida, em Filipenses, 3.11.

O Evangelho novamente revela que Jesus surgirá ao mundo inteiro, aos vivos da época, trazendo seus milhares dos que se tornaram santos em vida, que fizeram por merecer a Grande Glória futura:

“Para estes também profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que veio o Senhor, com os seus milhares de santos, para executar juízo sobre todos e convencer a todos os ímpios de todas as obras de impiedade, que impiamente cometeram, e de todas as duras palavras que ímpios pecadores contra ele proferiram”.  O Evangelho de Judas, verso 14.  Os santos que surgirão com Jesus são aqueles santos EM VIDA que estão dormindo, aguardando sua vitória final.

O Senhor, por intermédio do santo em vida (e não santo morto), o apóstolo Paulo, nos revela igual:

Quem são os santos que morreram em Cristo e que ressuscitarão primeiro e também nos aparecerão no Dia da Vinda de Jesus?

 “...e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro”. 1 Tessalonicenses 4:16.

O Evangelho de Paulo nos revela o mesmo: Os santos em vida falecidos serão acordados por Jesus e juntos se apresentarão em  glória imensa ao mundo inteiro. Como reza o Evangelho: todo olho o verá. O Espírito Santo de Deus nos revela o ARREBATAMENTO:

“Não queremos, pois, irmãos, que ignorais a respeito dos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim, também, Deus trará em sua companhia os que dormem. Ora, ainda declaramos, por Palavras do Senhor, que nós, os vivos, ficaremos até a Vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.  Porquanto o Senhor, dada a Sua Palavra de ordem, ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles (os que dormiam) entre as nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.  1 Tessalonicenses, capítulo 4.13 e seguintes.

Jesus repete que os santos que dormem serão acordados no Grande Dia de Sua Volta:

“Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”.  Jesus, em João, 5.28.

Quem se atrever a ignorar essa Verdade tão bem exemplificada e ensinar errado, de acordo com as doutrinas humanas, não vai ter parte com Deus, pois estará a agredir o Evangelho.

No episódio Lázaro, o Evangelho nos revela novamente que todos os que estão dormindo serão acordados:

“Respondeu-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. Disse-lhe Marta: Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia”.  João, 11.23.

Paulo, um santo em vida, revela, novamente, o arrebatamento ao Céu dos justos e justas de Deus que dormem ou que estarão vivos na época, somente  no Grande Dia da Volta de Jesus!

notem, também, que o homem mau citado por Paulo vai ter de sofrer em vida para viabilizar a vida eterna, o que anula completamente qualquer teoria do fantasioso purgatório, pois o purgação dos pecados se dá em vida!

“Em verdade, ainda que ausente em pessoa, já sentenciei, com se estivesse presente, que o autor de tal infâmia, seja, em Nome do Senhor Jesus, seja esse homem entregue a Satanás, para mortificação do seu corpo, a fim de que sua alma  seja salva no dia do Senhor”.   Concessões do Senhor Deus, na Primeira Carta aos Coríntios,  5.3 a 5

Ora, a alma será salva no Dia do Senhor, ou seja, no Grande Dia da Volta de Jesus, portanto, essa história de julgamento particular para cada ser que morre, assim com prega o tal catecismo e uma parte dos pastores evangélicos já nasceu morta.

NÃO existe uma só linha no Evangelho que aponte para o julgamento particular de cada um no momento de sua morte. Se um clérigo católico ou ortodoxo me apontar esse preceito, de modo claro, com os preceitos que aqui coloquei, prometo solenemente que voltarei ao seminário que estava, ali aceitando  a ordenação sacerdotal.

Novamente, o Evangelho de Paulo:

“Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus”.  1 Coríntios 4:5.

Estou a citar sempre os santos em vida, porque  Evangelho jamais chamou de santo qualquer ser humano morto, nem mesmo João Batista, Estêvão (mártires) ou mesmo Maria.

 No Evangelho jamais encontraremos uma só oração a mortos -- pois é coisa completamente inútil --, também só são nomeados como santos os VIVOS, os justos de Jesus que procuravam e procuram viver da melhor maneira os ensinamentos de Jesus. Por isso, comece o irmão a ler todo o Evangelho e verificará a Verdade de que santos eram somente os cristãos vivos e as orações eram dirigidas somente a esses vivos, pois se os mortos dormem, segundo Jesus, é absoluta e completamente inútil a reza pelos mortos ou intercessão pelos mortos ou a busca da proteção pelos tais santos católicos mortos, incluindo Maria, que também dorme.  Os ditos santos católicos foram santificados pelos próprios homens, coisas deles, e isso não tem fundamento algum na Palavra de Deus Escrita.

Se Maria também dorme, as tais aparições não são legados do Evangelho. Se Jesus abominou as rezas repetitivas e as tais aparições de Maria pedem a reza do rosário (cento e cinquenta avemarias e 15 Pai Nossos) não vêm de Jesus, pois jamais poderia ser incoerente, e se não vem de Deus, por certo vem do Adversário para confundir e para propagar, mais ainda, a idolatria a um figura humana. Vejamos o que Deus disse a respeito:

“Pegaste nos teus adornos que era feito de ouro e de prata que eu tinha te dado e fizeste com eles figuras humanas e idolatraste com elas”.  Ezequiel, 16.17.

Muitos alegam que quem morre santo em vida vai direto para o Reino de Deus, invocando, principalmente, a declaração de Jesus quando diz o criminoso arrependido ao seu lado:

“Ainda hoje estarás comigo no Paraíso”.

Bem, aí poderíamos ter um conflito na Bíblia, causado pelo próprio Jesus. Pois o mesmo afirmou, categoricamente, em João 14.1 que seus amigos apóstolos só alcançarão o Reino de Deus no DIA EM QUE ele, Jesus, VOLTAR!  E um criminoso, mesmo arrependido, não pode ser maior que onze dos apóstolos, que receberam o Espírito Santo e que foram imolados vivos.

 Vamos ver o que Jesus respondeu à Maria Madalena, logo depois de ressuscitado:

“Não me detenhas, porque AINDA NÃO SUBI PARA MEU PAI. Mas vai ter com seus irmãos e diga-lhes: Subo para o meu Pai e vosso Pai; meu Deus e vosso Deus”.  Jesus, em João, 20.17.

Ora, depois de Jesus ter dito ao criminoso que ambos estariam no Paraíso ou Céu naquele mesmo dia, se Jesus, mesmo depois de três dias, ainda não havia subido?  Trata-se de um conflito bíblico? Jesus se contradisse? Absolutamente não!

Mas, como Jesus revelou que três dias depois ainda não havia subido ao Céu, o criminoso crucificado ao lado de Jesus também não havia subido.

Não se trata de conflito algum, pois se isso fosse possível, mediante Jesus sempre ter falado pelo Deus Perfeito, da mesma forma teria sido um conflito quando Jesus revelou aos presentes de seu tempo que Voltaria antes que o último daquela geração falecesse.

Como muito medo, isso provocou inédita caridade entre os cristãos que vendiam tudo o que tinham e repartiam com os necessitados, e assim, tudo era comum.

Perseveraram na doutrina dos apóstolos, nas reuniões comuns, na fração do pão e nas orações. Toda gente estava com temor. Atos dos Apóstolos, 2. 42.

Mas com o passar do tempo, já passando o tempo da promessa de Jesus, vendo que não voltava, a descrença tomou muitos e a caridade foi esfriando cada vez mais.  Com respeito a isso, Simão Pedro (nunca um papa), um homem forte em liderança, esclareceu aquela situação de forma bem severa:

“Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero, para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador.

 Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.

Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste. Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.

Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.

O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.

Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça”.

Então, quando o Evangelho nos revela que OS DIAS DE DEUS NÃO SÃO OS NOSSOS (o que vem a aliar a Ciência do Carbono 14 com os sete dias Criação em sete longas fases – sete dias de Deus), dias esses que dependem da rotação da Terra, vem a esclarecer o suposto conflito de Jesus quando afirmou que o criminoso crucificado ao seu lado estaria com ele, no Paraíso, naquele mesmo dia, e três dias depois ele mesmo confessa qua ainda não havia subido. 

Tendo como fundamentos que Jesus, o Filho, sempre falou pelo Pai, sendo ele o Verbo de Deus, assim como falou que voltaria naquela mesma geração e não voltou, pois a contagem do tempo de Deus não se submete à rotação da Terra, da mesma forma Jesus disse ao ladrão crucificado ao lado dele, citando um dia de Deus, um tempo diferente do nosso.

Mais fortes preceitos bíblicos que revelam um Único Julgamento Final para todos os mortais, de acordo com o Livro da Vida, no FIM DO MUNDO, na consumação dos séculos, e não na hora da morte de cada um:

Assim será no fim do mundo: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos”.        Jesus, em Mateus, 13.47

Também no Velho Testamento está registrado um futuro julgamento, por certo no Dia de Jesus:

“E tu, Cafarnaum, porventura serás elevada até o céu? até o Hades descerás; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje.  Contudo, eu vos digo que no dia do juízo haverá menos rigor para a terra de Sodoma do que para ti”.  Jesus, em Mateus, 11.23.  (Hades ou Seol é o lugar dos mortos).

O apóstolo Paulo sempre cita o Grande Dia da Volta de Jesus, quando teremos a Justiça que nos faltou na Terra:

“como também já em parte nos reconhecestes, que somos a vossa glória, assim vós sereis a nossa no dia do Senhor Jesus”.  2 Coríntios 1:14

Em João, capítulo 6, Jesus revela, por três vezes seguidas, em menos de dois minutos, na mesma pregação, que somente no Dia de sua Volta todos seremos ressuscitados. João, 6, verso 40; verso 44 e verso 54. Vejamos uma delas:

“Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia”. Jesus, em João 6.44.

Nas Sete Cartas às Sete Igrejas da Ásia, assim como Jesus, em Mateus, 25.31 a 44, são citadas as boas obras como normas fortes de salvação, sendo assim, os que estão dormindo permanecem com as celestes vantagens adquiridas numa vida cristã ou de arrependimento, como também permanecem os ímpios com suas más obras:

“Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham”.  Apocalipse, 14.13.

A Revelação abaixo mostra que os mortos que dormem, que faleceram, serão todos ressuscitados no Grande Dia de Jesus e os vivos de Jesus se juntarão a eles na Glória, depois de transformados de corpos humanos a espíritos de Deus, como Está Escrito em I Coríntios, 15.51, no segundo preceito a seguir:

“Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo.  Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda”.  1 Coríntios 15.20 a 23.

O que acontecerá com os vivos por ocasião da Vinda de Jesus?

“Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”.  Revelação na Primeira Carta aos Coríntios 15.51.

Por tudo isso, porque todos os mortos do mundo estão dormindo, fica absolutamente descartada a crença de que já estão presentes no Reino de Deus santos ou santas santificados pelo próprio homem (sendo que muitos desses santificadores viveram intensa corrupção mundana) sem nenhuma base nas Escrituras.  

Fica descartada, biblicamente, também, a teoria espírita da tal reencarnação, pois antes mesmo o Senhor já havia escrito que se Cristo morreu por você, e se houver um montão de você nas várias supostas reencarnações, por quem afinal, teria Cristo sido sacrificado? Pelo árabe do século 19 que era você? Por uma rainha da Idade Média que era você? Por um dos guerreiros de Gengis Khan que era você? Pelo esquimó que viveu no século 16 que era você ou por você que ainda vive nas dificuldades dessa nossa vida?

Fica completamente descartada, também, uma falsa teoria de alguns pobres pastores evangélicos que afirmam que o justo que morre vai para um paraíso que ainda não é o Reino de Deus, e o ímpio vai sofrer torturas num tipo de inferno provisório até o Julgamento Final.  Parece mais um tipo do fantasioso Purgatório católico que não existe no Evangelho. Isso é o fim da picada espiritual, tendo-se a Palavra Escrita como julgadora!

Quanta pobreza de espírito ao julgar que existe esse tal lugar fantasioso, o tal Purgatório que sustenta o Vaticano e seus quatro mil funcionários, além de hóspedes convidados e a fatura de cardais e bispos.

O Purgatório é pior de todos os adendos católicos à Palavra Escrita do Senhor, e é galinha de ovos de ouro do Vaticano, pois o clero recebe centenas de milhões de dólares semanalmente, arrecadados pelo mundo inteiro, com as missas encomendadas pelos mortos “sofredores do Purgatório”. Segundo o jornal O Estado de São Paulo, do dia 28 de agosto de 1985, o Vaticano é a corte mais suntuosa da Europa. O Vaticano aplica os proventos desse comércio das almas penadas de tal forma que possuem extensas terras e fazendas pelo mundo, bancos próprios e edifícios. Segundo o jornal, presentemente católicos americanos estão exigindo do Vaticano, relatórios e balanço financeiros.

Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do Paraíso de Deus. Apocalipse 2.7.

Waldecy Antonio Simões     walasi@uol.com.br

todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados. 


Meus blogs com vários assuntos bíblicos:















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/






























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43